Criando estabilidade

Mensagem de Finn Reske-Nielsen, Representante Especial Interino para Timor-Leste

A sólida parceria entre Timor-Leste e as Nações Unidas remonta a 1999, com o apoio que a organização prestou à luta de Timor-Leste pela autodeterminação e a histórica Consulta Popular. Desde então, Timor-Leste foi palco de várias operações de natureza política e de manutenção da paz e contou com a presença regular de pessoal, programas e recursos financeiros de vários órgãos da ONU.

O Conselho de Segurança da ONU mobilizou a Missão Integrada das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT) em resposta à crise interna que sacudiu o país em abril e maio de 2006. Cerca de 150.000 pessoas deslocaram-se, com aproximadamente 30.000 vivendo em acampamentos em áreas vizinhas a Díli e Baucau. As tensões atingiram níveis epidémicos.  

Criando condições para uma paz duradoura

Em 25 de agosto de 2006, o Conselho de Segurança da ONU adotou a resolução 1704, determinando que a UNMIT seria responsável pela provisão de ações policiais e de segurança pública com caráter provisório, até à data em que a polícia nacional fosse reconstituída e capacitada para reassumir esses papéis. O mandato era amplo e incluía assistência ao governo nacional para organizar eleições, criar capacitação nos sectores da governação, justiça e segurança, fortalecer mecanismos de defesa de direitos humanos e concluir investigações sobre casos de violações graves de direitos humanos cometidas em 1999. Além disso, previa apoio para os mecanismos governamentais de coordenação de doações e promoção de igualdade de género nas ações de capacitação institucional e elaboração de políticas.

O mandato da UNMIT traduziu-se numa ampla presença policial da ONU, com mais de 1.600 polícias de 41 países e cerca de 1.900 funcionários civis timorenses e internacionais. Desde a criação da UNMIT, os nossos funcionários trabalham com todos os segmentos da sociedade timorense - polícia, forças armadas, Parlamento Nacional, partidos políticos e grupos da sociedade civil e dos média do país para ajudar Timor-Leste a conquistar a estabilidade e construir um estado sólido e flexível melhorando, assim, a vida de todos os seus cidadãos.

Apoio da ONU continua forte

Sinto orgulho ao constatar as contribuições que a UNMIT e os diversos órgãos, fundos e programas da ONU prestaram para as conquistas timorenses durante esses seis anos. 

O encerramento da UNMIT não marcará o fim da parceria entre Timor-Leste e as Nações Unidas. Ao contrário, com a partida dos profissionais de manutenção da paz, voltamos o nosso olhar para uma nova fase deste relacionamento. Mais importante, a família ONU continuará a fornecer apoio às instituições nacionais na elaboração e implementação de programas para desenvolvimento acelerado através dos vários órgãos, fundos e programas da ONU.

Tributo ao timorense

Quando eu cheguei em Timor-Leste pela primeira vez, em 1999, o país estava devastado pelas lutas e agitações políticas e fortemente abalado com o deslocamento e sofrimento humanos. Grandes áreas do território jaziam totalmente queimadas. Foi um privilégio acompanhar a trajetória desta nação que conseguiu deixar para trás esses tempos difíceis e caminhar na direção da paz, estabilidade e de um futuro mais brilhante, mais seguro e mais próspero.  

O caminho à frente será marcado, sem dúvida, por muitos desafios. A economia não ligada ao petróleo, especialmente o sector privado, será vital para manter o ritmo de desenvolvimento socioeconómico. A oferta de oportunidades educacionais, emprego para os jovens e desenvolvimento igualitário exigirão uma dedicação intensa das autoridades timorenses, com o apoio de seus parceiros internacionais. Os serviços polícias também terão de manter o ritmo das suas conquistas profissionais para aumentar a sua capacitação e enfrentar desafios futuros.  

Tenho plena confiança nas instituições e nos cidadãos timorenses. Sei que vão aproveitar com coragem as oportunidades que surgirem e alcançar as suas metas.

Em nome de todo o pessoal da UNMIT, permitam-me agradecer aos timorenses e aos seus líderes a sólida parceria que desfrutamos durante estes seis anos e exprimir os nossos melhores votos para o futuro Timor-Leste.

 

Finn Reske-Nielsen
Representante Especial Interino do Secretário-Geral para Timor-Leste